Metrópoles Paris

Translate original post with Google Translate

Na série Metrópoles Paris, o fotógrafo explora a identidade urbana das cidades através da fotografia em branco e preto, de base analógica, de grande formato, onde, tempos longos de captura da imagem possibilitam certo “esvaziamento” da paisagem urbana e a produção de imagens que aludem à solidão do indivíduo contemporâneo.

Os conceitos de “solidão” e “vazio” são temas recorrentes na obra do artista Thiago Barros, que os trabalha através de uma sintaxe visual semelhante àquela dos fotógrafos do século XIX, situando suas imagens num tempo cronologicamente inclassificável.

Do ponto de vista conceitual, interessa ao artista exercitar o tema da cidade esvaziada, abordado pelo escritor José Saramago no livro “Ensaio Sobre a Cegueira”, evidenciando o aprisionamento do sujeito em si mesmo, apesar de inserido na sociedade. A estrutura formal da cidade perdeu sua identidade e sua funcionalidade revelando um caos, uma desordem presente na contemporaneidade, porém, geralmente, à margem de nossa percepção.

O artista busca, através da ruptura entre o que se move e o estático e da dissociação entre o tempo e o espaço, indícios de como e onde o homem, sem tempo para si mesmo, se submete às exigências da cidade. Através do vazio das paisagens urbanas criamos imersões profundas e questionamos o papel do homem em seu entorno, sua coletividade.